sábado, 22 de outubro de 2011

Pedaços de vida

Perdera a noção do tempo desde que um estrondo de uma porta a bater se fizera ouvir. Ele tinha saído. Não dissera onde ia. Lembrou-se que ele nunca dizia. No rescaldo da discussão observou o seu olhar perturbado e o temor na voz, mas sabia que ele não voltaria atrás no que tinha dito. Tinha desistido. Desistido de tentar fazê-la entender o que ele julgava claro pelas suas ações. Desistido de lutar contra os fantasmas do passado dela. Enfim, desistido da frágil relação que tinham construído em largos momentos.
Ele ia no segundo vodka. Limão, o preferido dela. Ela percorria as memórias do tempo em que riam juntos, juntos aninhados no sofá, conversavam, viam filmes. Ele gostava de filmes de animação. Ela gostava de romances.
Isso foi há meses, talvez mais de um ano. Ainda pensam um no outro mas, são demasiado orgulhosos para o admitir.


Não é meu costume mas, hoje apeteceu-me escrever um textinho destes :)

3 comentários:

  1. Olá Rafaela, vim retribuir a tua visita à Turista e deparo-me logo com um óptimo texto sobre a ausência.
    Vou voltar! :)

    ResponderEliminar

Deixa a tua opinião!
;D